Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escadas Rolantes

Na minha terra costuma dizer-se: Quando a merda chega à ventoinha, ficam todos cagados!

Escadas Rolantes

Na minha terra costuma dizer-se: Quando a merda chega à ventoinha, ficam todos cagados!

04
Mai18

A caixa de Pandora

escadas

cartaz rosa.jpg

 

Ponderei muito se devia escrever alguma coisa sobre o dia de hoje...

Ponderando os prós e os contras, achei que todos nós e principalmente os dirigentes partidários devemos meditar sobre o que leva uma pessoa, um militante de um partido político a abandonar a militância desse mesmo partido?

Se os partidos políticos são o cerne da democracia, os militantes são os arquétipos dessas organizações.

Sem militantes,os partidos não passam de obsoletos salões de chá onde senhoras que já viveram dias melhores, consomem as horas em busca de um tempo que já não volta.

Um partido sem memória, é um partido sem história.

Um partido sem passado, é um partido com o futuro condenado!

Não falo por mim. Como alguns saberão, abandonei a militância partidária há mais de 3 anos, mas no dia de hoje revejo-me nas angustias e nas frustrações de todos aqueles que deram a sua vida por um ideal comum e que de repente compreenderam que estavam sós na berma da estrada e que por ali não vai passar mais nenhum autocarro.

É costume dizer-se que não existem militantes de primeira ou de segunda, mas toda a gente sabe que isso não é verdade. José Sócrates era um desses.

Ao longo do dia de hoje foram muitas a personalidades que demonstraram publicamente a sua solidariedade para com o antigo Secretário Geral do PS. 

Sócrates não precisa da minha solidariedade nem eu preciso de a demonstrar, mas há coisa que têm que ser ditas por mais difíceis que possam parecer.

É como diria Antero:

"Chegar onde eu cheguei, subir à altura
Onde agora me encontro - é ter chegado
Aos extremos da Paz e da Ventura!​"

22
Nov16

A ESTALINIZAÇÃO DA NAÇÃO

escadas

O grande líder da classe operária (da União Soviética entenda-se) ficará para a história como um dos maiores precursores da “tinta corretora”!

Penso que é do conhecimento geral, a alteração que Estaline mandou fazer a uma foto registada em 1930. Na foto original, aparecia Nikolai Yezhov (chefe da polícia secreta soviética e que era conhecido como “anão sanguinário”) que entretanto caiu em desgraça junto do grande líder soviético. Numa época em que ainda não havia Photoshop a opção passou por retocar a foto e retirar o “velho” amigo do enquadramento geral.

 

Voroshilov%2c_Molotov%2c_Stalin%2c_with_Nikolai_YeThe_Commissar_Vanishes_2.jpg

 

 

O mesmo aliás já tinha sido feito com Trotsky uns bons 20 anos antes, depois deste ter perdido uma disputa interna no Partido Comunista, a qual levou Estaline ao poder.

Esta expurga tinha como finalidade reescrever a história.

Estaline desconhecia na altura que anos mais tarde seria inventada uma coisa chamada internet!

 

 Para quem acha que estes acontecimentos são obra do passado, desengane-se.

logo.gif

 

O canal de televisão SIC, emitiu no passado sábado mais um episódio de “Perdidos e Achados”. Desta vez o alvo foi o “Dia Europeu sem Carros” que por acaso decorre em toda a europa no mês de…setembro, mas enfim…

Os mais novos não devem saber do que estou a falar, mas para o caso convém referir que se trata de uma data/iniciativa que visa promover a mobilidade nas cidades.

Em Portugal, o primeiro “Dia Europeu sem Carros” decorreu em 2000, João Soares era presidente da Câmara Municipal de Lisboa e José Sócrates ministro do ambiente.

 

 

Todos os estudos efetuados no dia seguinte ao evento e que tentaram apurar a eficácia da iniciativa, referem uma adesão perto dos 80%. Mesmo as propostas mais arrojadas e as que representavam eventualmente um maior risco de sucesso como em Lisboa por exemplo, resultaram num êxito total. Lembro que João Soares vedou o acesso aos carros numa área compreendida entre o Campo Pequeno e o Cais das Colunas!

Em Portugal a iniciativa foi promovida pelo Ministério do Ambiente e teve no secretário de estado do ambiente, o engenheiro Rui Gonçalves o seu principal coordenador. Do ponto de vista político, esta foi uma das primeiras provas de fogo de José Sócrates dentro do governo chefiado por António Guterres e uma forma de afirmação do seu peso politico que viria a ser confirmado no ano seguinte com a descriminalização do consumo de drogas, mas já lá vamos.

A opinião foi unânime; o Dia Europeu sem Carros em Portugal foi um exemplo para toda a europa e o civismo demonstrado pelos portugueses um exemplo a seguir e a replicar por outros países.

Reparem no dominador comum desta ultima parte do texto – João Soares e José Sócrates.

Pois bem, a reportagem da SIC emitida ontem, consegue esta coisa fantástica de não ter uma única referência a José Sócrates, uma única!

 

Mas há mais:

Há duas semanas, assinalou-se os 15 anos da descriminalização do consumo de drogas em Portugal.

E é bom que se falem destas coisas, pois o documento continua a ser uma referência mundial, digo bem, MUNDIAL!

A iniciativa de mudar o paradigma das drogas em Portugal tem um único responsável; José Sócrates.

Pode não se gostar, mas há coisas que são mesmo assim. Decorria o ano de 1998 quando o então ministro-adjunto do Primeiro-ministro e que tinha a tutela do Projecto VIDA, a entidade que coordenava a prevenção das toxicodependências em todo o território nacional, teve a ousadia de reunir à mesma mesa alguns dos maiores nomes ligados a esta problemática; o prof. Cândido Agra, João Goulão (presidente do SPTT), o Procurador-Geral Adjunto Lourenço Martins, os psiquiatras Júlio Machado Vaz e Nuno Miguel, a especialista em saúde mental e psiquiatria Maria Manuela Marques, o prof. Alexandre Quintanilha, o psicólogo Joaquim Rodrigues e finalmente Daniel Sampaio que foi também o relator do documento final.

 

1322647732capa_livro.jpg

 Foi este grupo de personalidades que um ano mais tarde, produziu aquilo a que se convencionou chamar “Estratégia Nacional de Luta Contra a Droga”, um documento pioneiro e inovador apresentado em cerimónia oficial na residência oficial do primeiro-ministro e que estabelecia um novo paradigma na prevenção e combate às toxicodependências, apontando claramente para a despenalização do consumo, situação que se veio a verificar em 2001.

Pois bem, no passado dia 7 o jornal Público refere-se a este acontecimento (os 15 anos da despenalização) e assinala como ponto mais importante desta reforma estruturante…MANUELA ARCANJO, que era na altura a responsável pela pasta da saúde!

Percebo certa animosidade que continua a existir em relação a José Sócrates, o que não posso aceitar é que a História, seja ela qual for, a História enquanto património coletivo, seja despudoradamente reescrita com vista à criação de uma nova realidade.

Eu sei que Putin continua a sonhar com a reunificação soviética, mas Estaline ainda não ressuscitou!

16
Out15

A Chave de Hiram

escadas

DSC_7960.jpg

 

Passavam poucos minutos das 23:00 horas.

Aquela noite do dia 21 de Novembro de 2014, estava a ser particularmente proveitosa. Já tinha lido e relido vezes sem conta a minha Tese de Mestrado que iria defender 3 dias depois. A estratégia estava afinada e, pensava eu, nada poderia acorrer mal, era o culminar de longos meses de investigação, de leituras académicas, de discussões nem sempre pacíficas e de muita perseverança!

O “ruído de fundo” estava como sempre na SIC Notícias, e aqueles foram momentos que jamais esquecerei. Em rodapé, passava a informação: "Sócrates detido no Aeroporto da Portela".

 

À paralisia momentânea, sucedeu-se a perplexidade do momento, e a conclusão lógica de quem acaba de levar um valente murro no estômago – A defesa da tese iria ser adiada, é que há um pormenor que na altura apenas alguns sabiam; o tema da minha investigação era precisamente…JOSÉ SÓCRATES!

As chaves de Hiram, O agendamento dos media e o condicionamento da opinião pública na crise política de 2011” foi o tema escolhido para concluir o meu mestrado em Ciências da Comunicação, Cultura e Tecnologias da Informação. Obviamente que o meu “drama” estava longe, muito longe, do drama que José Sócrates estava a viver naquela altura, mas a minha intenção inicial foi mesmo a de adiar a coisa. Amigos comuns aconselharam-me a não o fazer e vendo bem as coisas, ainda bem que segui em frente.

 

Como militante socialista que sou, segui escrupulosamente as orientações dadas pelo Secretário-Geral do PS, António Costa, relativamente à detenção de José Sócrates.

Durante todo este tempo, nunca me pronunciei sobre o caso; à justiça o que é da justiça, à política o que é da política. Não encontrarão nos meus escritos, nem uma só palavra sobre a detenção mais polémica de sempre ocorrida em Portugal.

Entendi que tal como disse António Costa, se deveria evitar a todo o custo, contaminar a campanha eleitoral (e esse foi desde o inicio a intenção da direita portuguesa como se viu no primeiro debate entre Passos e Costa), com outros assuntos que não os estritamente necessários, e estes eram, claro está, as propostas politicas do Partido Socialista.

Os meus dilates, confinaram-se a um pequeno círculo de amigos!

O guião desta autentica novela mexicana, nunca foi novidade para mim, li e escrevi sobre ela mesmo antes dos acontecimentos ocorrerem.

Era pois óbvio, que passado o acto eleitoral que ditou a vitória da direita, a prisão de Sócrates se tornava completamente desnecessária, seria portanto uma questão de dias. Foi hoje!

Conheço Sócrates há muitos anos, trabalhei com ele, fiz campanha com e por ele!

Tenho por ele uma admiração que poucos compreenderão (às vezes até eu), e como tal permitam-me que me reserve em mais considerações.

Este texto não serve de justificação seja para o que for, não preciso de o fazer, mas agora que podemos todos respirar um pouco mais de ar puro (ou menos poluído), é altura de fazermos todos uma retrospectiva e questionarmos a justiça que alguns teimam fazer em Portugal.

Não foi para isto que muitos portugueses deram a vida.

Não foi para isto!

 

 

22
Jul12

ACORDAI

escadas

Há uma linha que separa o norte do sul do país. É a linha do rissol!

No norte é de carne, no sul é de peixe.

Esta triste realidade, a que Luís Felipe Menezes aludiu num célebre discurso no Coliseu dos Recreios em 1995, exemplifica muito bem esta dicotomia que tem caracterizado o nosso país nos últimos anos.

E não é só a nossa falta de nacionalismo e esta vontade latente de derrubar tudo o que é bom e é português. O Tuga quando vai às compras, mais facilmente compra um produto que tem uma etiqueta a dizer “Made in Portugal” do que um que diga “Fabricado em Portugal”.

Se é português e se se destacou nesta ou naquela “matéria”, haverá sempre alguém que se encarregará de espalhar um boato, uma história, uma fotografia, que o coloque nas ruas da amargura.

Antigamente podíamos esperar que esse “alguém” fosse Pacheco Pereira, mas a verdade seja dita que o ex- militante (já não é pois não?) do PSD, se deixou dessas coisas!

Este é um país “piquinino” de coisas “piquenas” e ainda por cima, para mal dos nossos pecados, é governado actualmente por gente “piquena”.

Este é um país que tem jornalistas no activo, do tipo de Mário Crespo e programas de televisão do género da “Casa dos Segredos” que é líder de audiência.

Não que eu ache que estes programas não devam existir, o que eu não percebo é porque é que tanta gente perde tempo a ver os genitais rapados de uma rapariga que é o protótipo do “Porquinho chamado Babe” e o dia-a-dia de uma jovenzinha que é mais burra que as pedras da Calçada dos Barbadinhos. Neste particular, Salazar esteve bem! A sua politica educacional deu os seus frutos!!

Em Portugal, ser-se bom em qualquer coisa, é sinal de que mais dia menos dia, teremos o nosso nome no jornal. Luís Figo, já percebeu isso! António Costa não tarda, terá de se confrontar com esta triste realidade.

Só as mentes medíocres, se dão ao trabalho de aniquilar aqueles que lutam por uma vida melhor, não só para os próprios como para toda a sociedade.

E já que falo em mentes medíocre e “piquenas”, deixo aqui bem claro que prefiro mil vezes ser governado por alguém que pensa em grande, que tem uma estratégia de crescimento clara para Portugal, do que um monte de “meninos de coro” que a única coisa que sabem fazer é… O QUE É QUE É MESMO????

Por esta altura haverá muita gente que está a dizer, pois lá está a ela a defender o Sócrates, o gajo que deixou este País na miséria e que depois fugiu para Paris!

Meus amigos, sejamos claros numa coisa.

Sócrates que não precisa que eu o defenda para nada (chegará a altura para ele o fazer) é o mesmo Sócrates que optou por ir estudar para Paris (coisa rara hoje em dia) em vez de ficar aqui a alimentar discussões pueris e fraudulentas, pois é disso mesmo que trata, de uma fraude!

Esta lavagem permanente da nossa história recente, terá o seu fim, e mais dia, menos dia, começaremos a perceber o que esteve por detrás do assalto ao poder perpetrado por estes “meninos”.

Não defendo que Sócrates deva voltar ao poder. Sócrates teve o seu tempo! O que não posso admitir é que a história do meu País seja adulterada desta forma tão vil, tão cobarde. Sim, a mentira é a principal arma dos cobardes e a estupidez e o analfabetismo os seus principais alimentos.

 

E como dizia José Gomes Ferreira

Acordai
acordai
homens que dormis
a embalar a dor
dos silêncios vis
vinde no clamor
das almas viris
arrancar a flor
que dorme na raíz

Acordai
acordai
raios e tufões
que dormis no ar
e nas multidões
vinde incendiar
de astros e canções
as pedras do mar
o mundo e os corações

Acordai
acendei
de almas e de sóis
este mar sem cais
nem luz de faróis
e acordai depois
das lutas finais
os nossos heróis
que dormem nos covais
Acordai!

 

Mais sobre mim

foto do autor

google+

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub