Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Escadas Rolantes

Na minha terra costuma dizer-se: Quando a merda chega à ventoinha, ficam todos cagádos!

Escadas Rolantes

Na minha terra costuma dizer-se: Quando a merda chega à ventoinha, ficam todos cagádos!

12
Jul13

COITUS INTERRUPTUS

escadas

 

 

 

 

Por incrível que possa parecer, a principal nota a retirar do discurso à Nação do presidente da República, foi a tentativa de “encostar o Partido Socialista, às cordas”.

Correndo o risco de não interpretar correctamente as palavras de Cavaco Silva (o que não seria de estranhar, já que os principais analistas também não o perceberam), o senhor presidente, entende que a solução para o pântano em que este governo PSD/CDS nos colocou, é um acordo com o Partido Socialista.

Ou seja, durante dois anos, Passos Coelho negociou a seu belo prazer com a Troika, todas as alterações que entendeu fazer ao memorando inicial.

Durante dois anos, o chefe do governo, com o apoio explícito de Cavaco, fez “tabua rasa” de tudo o que prometeu e disse durante a campanha eleitoral e nunca consultou o maior partido da oposição, nem os restantes partidos que têm assento parlamentar.

Durante dois anos, Passos Coelho seguiu teimosamente por um caminho, que até o seu principal executor, Vítor Gaspar, reconheceu estar errado, e agora, confrontado com essa irresponsabilidade e o total falhanço das políticas que protagonizou, entende que a única solução está no apoio do Partido Socialista a essas mesmas políticas.

O mais grave disto tudo, é que Cavaco Silva, aparece a dar o seu beneplácito a esta posição, aliás o discurso de Cavaco, é tudo menos infantil. Não partilho da ideia de todos aqueles que entendem que Cavaco deu um murro na mesa e que puxou as orelhas a Passos Coelho, se não vejamos;

Cavaco demitiu este Governo, ou colocou-o a prazo? – NÃO!

Cavaco disse taxativamente que não dava posse ao novo governo proposto por Passos? - NÃO!

Cavaco disse em que moldes, é que iria funcionar a governação daqui em diante? - NÃO!

 

Cavaco, num golpe de “génio” e percebendo que a opinião pública já não acredita neste governo e neste PSD, decide realizar eleições antecipadas. Quando????? Daqui a um ano!

Mais, refere na sua intervenção, que o actual estado de crispação não permitiria a realização de eleições antecipadas em Setembro, o que leva a perguntar, quando é que se devem realizar eleições, será que é quando estamos todos a dormir? Mas a marcação de eleições antecipadas para daqui a um ano, é tudo menos inocente. Cavaco, sabe que um ano, dá tempo ao PSD fazer novo congresso e encontrar novo líder, quiçá o seu amigo Rui Rio, o qual deixará a Câmara do Porto no final deste ano (e não antes!!).

Cavaco sabe que, uma nova liderança poderá fazer esquecer o desastre de proporções cataclísmicas, que representa a governação de Passos Coelho.

Esta direita neoliberal, aqui representada pelo seu sargento-mor Aníbal Cavaco Silva, não entende o rumo da história e tenta a todo o custo perpetuar-se no poder. E esta perpetuação, faz-se de que modo?

Esta ideia de que a solução, passa exclusivamente pelo governo de salvação nacional, é uma enorme falácia.

Cavaco não quer nenhum governo de salvação, Cavaco quer apenas que o Partido Socialista e António José Seguro, dêem o seu apoio a uma gestão que de tão criminosa que é, deveria se sancionada pela justiça!

 

O interesse nacional, não está nestes consensos! O interesse nacional está na realização de eleições, devolver a palavra aos portugueses e agir em conformidade com o resultado dessa consulta. A nossa democracia e sobretudo, a nossa independência, residem na forma como fizermos frente às sucessivas tentativas de condicionamento que temos sido sujeitos.

 

Um país pobre mas livre, será sempre melhor que um rico, mas escravizado!



Mais sobre mim

foto do autor

google+

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D