Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escadas Rolantes

Na minha terra costuma dizer-se: Quando a merda chega à ventoinha, ficam todos cagádos!

Escadas Rolantes

Na minha terra costuma dizer-se: Quando a merda chega à ventoinha, ficam todos cagádos!

30
Abr15

VAMOS LÁ? VAMOS!

escadas

A candidatura de Sampaio da Nóvoa, já mexe. Não só no seio da sua candidatura, mas também e principalmente, nas restantes candidaturas, as já anunciadas e as que se perfilam no horizonte.

Já se percebeu que a tal falta de notoriedade, que muitos diziam ser o principal problema de Sampaio da Nóvoa, em breve deixará de ser uma contrariedade.

O apoio ontem demonstrado por tanta gente anónima, foi um sinal claro, de que o ex-Reitor tem o caminho aberto para reconquistar Portugal e devolver a confiança e auto-estima aos portugueses. Passos Coelho sabe disso e está visivelmente preocupado. Sinal claro desse nervosismo, foi a marcação do conselho nacional do PSD para ontem, quase à mesma hora do anúncio de candidatura de Sampaio da Nóvoa, numa tentativa clara de desviar as atenções do que se passava no eatro da Trindade.

Também não passou despercebida a alteração de intenções manifestada no final dessa reunião magna e que contempla um eventual apoio a um candidato presidencial, ANTES DAS LEGISLATIVAS! Isto poderá querer dizer uma de duas coisas: ou o PSD se prepara para apoiar Marcelo Rebelo de Sousa antes de Outubro, como ele pretende, ou, numa jogada de antecipação, avança já com Rui Rio.

Em ambos os casos, Pedro Santana Lopes ficará a falar sozinho! Resta saber se Rui Rio pretende ser líder da oposição, ou apostar numa candidatura cujo desfecho é incerto, podendo hipotecar o seu futuro político imediato (perdendo as presidenciais, não poderá ser líder do PSD). Uma coisa parece ser certa; o candidato do centro direita, vai ser escolhido por dois partidos, PSD e CDS.

 

E Santana Lopes? Vai ficar sentado como simples observador, ou escolhe os peões e vai a jogo?

ASN1.jpg

16
Abr15

VAMOS LÁ A VER SE NOS ENTENDEMOS

escadas

Os jornais de referência, com especial destaque para os económicos, têm feito eco à felicidade que reina nas hostes sociais-democratas, assim que foram conhecidas as previsões do FMI para Portugal.

Os títulos variam entre “Portugal cresce” e “Portugal cresce”. Sinceramente, não sei como é que nenhum deles titulou “Portugal, o melhor do Mundo”. Verdade seja dita que eu de economia não percebo nada, mas ainda sei contar dois mais dois e por isso dei-me ao trabalho de ver com mais pormenor as ditas previsões.

O FMI prevê um crescimento do PIB para este ano, de uns fabulásticos 1,6%, percentagem que para os mais entendidos, representa qualquer coisa como 7.000 novos postos de trabalho!

Há muitas décadas que não se verificava um crescimento destes, uma vitória portanto!!!

(De 2012 a 2014, a economia perdeu 400 mil empregos e a recessão acumulada real foi de 6,6%)

Mas se para 2015 as coisas parecem ir de vento em popa, já para 2016, os números do FMI apontam para…1,5%. Se os valores para este ano eram fantásticos, os do próximo arriscam-se a ser, alucinantes!

pib.png

 

Qualquer economista recém-licenciado, sabe que a economia de um País só cresce, sócria riquezae consequentemente, postos de trabalho, com um PIB superior a 2%, até Cavaco já referiu isso. Assim sendo, estas previsões representam o quê?

Mas continuemos pelo reino do FMI…

Relativamente à taxa de desemprego, os especialistas, apontam para um valor à volta dos 13,1% para este ano e…como o PIB desce para 2016, o desemprego também desce (!!!)para 12,6%.

Números verdadeiramente extraordinários!

desemprego.png

 Já em relação ao excedente da balança de conta corrente (dependência com o exterior), os valores variam entre os 0,6 para este ano, subindo para 1,4 em 2016 e descendo para 1% no ano seguinte.

Resumindo - Portugal terá um défice de 3,2% este ano, acima dos 2,7% prometidos pelo Governo do PSD.

Esta é a fantástica realidade que faz com que os nossos actuais governantes, não caiam em si de contentes!

Por estes dias, vamos ser “inundados” com postais ilustrados de locais paradisíacos e promessas de um futuro repleto de leite e mel. Mas esta Canaã social-democrata, está longe, muito longe de ser uma realidade, e nem Passos Coelho é nenhum Moisés dos tempos modernos.

A verdade é que estamos todos lixados.

A verdade é que esta gente, depois de nos ter enviado para as “trevas”, não faz a mínima ideia de como é que nos tira de lá!

 

09
Abr15

O PODER DAS ELITES

escadas

Alguém sabe o número de cidadão nacionais, os quais podem ser apelidados de “elite”?

A jornalista Maria João Avillez pelos vistos sabe e escreveu um artigo no jornal on-line Observador.

Vivemos um tempo, em que uma vez mais, parece que são essas ditas elites que decidem. São elas que têm voz, opinião. Há um suposto candidato presidencial? Vamos lá perguntar a meia dúzia de personalidades de determinado partido, o que pensam sobre isso. Auscultadas algumas dessas “elites” dogmáticas e perante tão díspares opiniões, conclui-se então que esse Partido se encontra dividido. Ana Sá Lopes do jornal I, escrevia no passado dia 5 que a eventual candidatura de António Sampaio da Nóvoa, estava a deixar o PS à beira de um ataque de nervos; depreendo por estas palavras que Ana Sá Lopes inquiriu uma boa parte dos cerca de 100 mil militantes do PS! No dia 6 e na mesma linha da dedução anterior, o Diário Económico titulava “Candidatura de Sampaio da Nóvoa divide Partido Socialista” e apoiava esta afirmação nas declarações do antigo (muito antigo) Secretário-geral da JS Sérgio Sousa Pinto.

Multiplicam-se assim as opiniões dos “belos iluminados” que pelos vistos têm uma opinião decisiva e fundamental sobre esta questão presidencial. Do ponto de vista editorial, o facto de uma candidatura presidencial ser um acto único e solitário, (quiçá o mais solitário de todos, pois não depende de Partidos ou vontades de lóbis políticos e grupos de pressão) não tem importância rigorosamente nenhuma. O que interessa é saber a opinião daqueles que bafejados pela “sorte”, ou por uma estrelinha no Céu, conseguiram alcançar um patamar invejável pelos restantes mortais.

Mas afinal, o que é uma elite?

Longe vão os tempos, em que Luciano Saber dirigiu o filme que narrava as aventuras de meia dúzia de bravos guerreiros que se aventuravam por terras inimigas (inimigos dos EUA entenda-se) com o intuito de resgatar companheiro de luta feitos prisioneiros. Não me parece no entanto, que estas elites a que se refere Maria João Avillez sejam do mesmo calibre… provavelmente, a jornalista deverá estar a pensar naquele grupo de pessoas que vivem nos corredores do mediatismo e que se movimentam como sanguessugas em busca de sangue novo e impoluto. Pessoas que se consideram superiores aos demais e que como tal, entendem que têm direitos que os demais concidadão não almejam. Estas “pessoas” vivem daquilo a que vulgarmente se considerou chamar de cunhas, sim cunhas, para tudo e mais alguma coisa. Quer seja para comprar o carro mais barato, quer para conseguir uma consulta rápida no Centro de Saúde para a sua “empregada doméstica” (é assim a designação) ou os bilhetinhos para o Rock In Rio. Aqui chegados, reúnem-se todos (ou todas) numa tenda…VIP, não se misturando com os demais.

Vivem em circuito fechado, olham para o umbigo uns dos outros e sobrevivem assim, alimentados por uma comunicação social que rivaliza em tempo e espaço com o famoso “Second Life” (O maior mundo virtual 3D criado totalmente pelos seus usuários).

Deixem que lhes diga uma coisa;

ESTA “ELITE” NÃO VOTA POR NÓS

ESTA “ELITE” NÃO PENSA POR NÓS

ESTA ELITE NÃO DECIDE POR NÓS!

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

google+

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D