Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escadas Rolantes

Na minha terra costuma dizer-se: Quando a merda chega à ventoinha, ficam todos cagádos!

Escadas Rolantes

Na minha terra costuma dizer-se: Quando a merda chega à ventoinha, ficam todos cagádos!

21
Set12

A Casa dos Degredos

escadas

 

 

Uma sociedade avalia-se pela qualidade da sua programação televisiva!

Não sei se esta “máxima” é de algum teórico conhecido, mas vale a pena fazer “zapping” à volta deste conceito.

 

É verdade que cada país tem a TVI que merece, os Argentinos e Mexicanos por exemplo, conseguem passar um dia inteiro, em frente ao televisor (ou pantalla) a vibrar com os enredos das suas telenovelas preferidas. Basta analisar, mesmo que superficialmente, a vida deste dois países para perceber que as telenovelas, são o seu modo de vida!

Os americanos não vivem sem os seus enlatados, séries de 40 minutos entaladas entre ecrãs de publicidade de 10 em 10 minutos!

Nestas autênticas imitações de “Atum Bom Petisco”, a América está sistematicamente a salvar o Mundo e a loira acaba sempre por se apaixonar platonicamente por outro actor, sendo que esta relação vive sempre no fio da navalha, sem nunca se concretizar. Querem uma melhor metáfora sobre a sociedade americana do que esta???

Exemplos há muitos e não queria alongar-me muitos sobre isso, mas quero aqui deixar uma história, já com muitos anos, que nos leva aos tempos em que Samora Machel era Presidente da República Popular de Moçambique.

Contava-se, que Samora Machel teria visitado a União Soviética (sim já houve um país que se chamava assim) e que durante essa visita oficial, foi confrontado com uma “Roleta Russa”. Espantado com todo o aparato, perguntou como é que aquilo funcionava, ao que lhe terão dito, que o “jogo” consistia no duelo entre dois homens, que sentados em frente um do outro, disparavam alternadamente um revolver à cabeça. O risco da “coisa” consistia em começar o jogo com apenas uma bala no tambor da pistola e depois ir introduzindo mais balas, até que inevitavelmente um dos “jogadores” acaba por morrer. Michael Cimino retrata isto tudo de uma forma sublime no filme “O Caçador – The Deer Hunter”

Reza a “história” que Samora Machel teria ficado muito impressionado, com tudo quilo que viu e tratou de fazer algo semelhante, aquando da visita do seu homologo soviético Leonid Brejnev, a qual aconteceria daí a uns meses.

 

A coisa foi preparada e logo no primeiro dia, levaram Brejnev a uma sala quadrada sem janelas e sem iluminação, onde estavam cerca de 10 jovens moçambicanas sentadas no chão.

O Presidente russo ficou muito admirado com todo aquele aparato e ao questionar o presidente moçambicano, sobre a orgânica da “coisa”, este respondeu-lhe:

Senhor presidente, isto que está aqui a ver, é a Roleta Moçambicana. Todas as mulheres fazem sexo oral, mas só uma delas é que é canibal!

Como se vê enveredar por cópias é muito perigoso.

Para se copiar, tem que se copiar MUITO BEM!

Mas esta alegoria, serve para introduzir (e aqui este termos deverá ser entendido em todos os sentidos) o verdadeiro tema deste texto, a nossa programação televisiva.

As ideias estão lá, mas a operacionalidade está toda errada, se não vejamos.

Mário Crespo, está definitivamente fora de naipe. Já há muito se percebeu que ele estaria bem era como apresentador da “Casa dos Segredos”.

Por outro lado, Teresa Guilherme, deveria estar a apresentar na SIC, aquele programa de Gordos que sinceramente não me lembro do nome. A edição diária do programa, com o resumo dos melhores momentos, seria feita por Margarida Rebelo Pinto, a qual, como se sabe tem um apreço muito especial, por mulheres, como direi…um pouco mais redondas!

E que dizer daquele programa fantástico, apresentado por aquela senhora mexicana chamada Maia? É óbvio que está errado. Começa logo pelo nome. Um povo, uma civilização que não acerta na data do fim do mundo, não tem crédito nenhum. E posto isto, ainda se põe a adivinhar o futuro dos espectadores, com cartas????

Não senhor. Este programa foi feito de encomenda para o Professor Marcelo Rebelo de Sousa. Ninguém melhor do que ele, para todos os dias de manhã, altura em que tem menos catarro na garganta, se propor a adivinhar o futuro dos espectadores através da leitura de… livros e não cartas. Cartas, é terceiro-mundista, cheira a batota, decadência, livros é civilização ocidental, significa cultura e modernidade.

E depois temos o caso do Dr. Paulo Portas e do Dr. Passos Coelho, os quais como já se percebeu, estão no lugar errado, foi de facto um erro de casting!

Não estão em causa as suas capacidades, mas vendo bem as coisas, onde eles ficavam bem, era a apresentar o programa da TVI “ A Bela e o Monstro” e porquê??? Bem… sempre ouvi dizer que uma cabeleira loira faz milagres!!

Finalmente, uma ideia, que deixo aqui, para quem quiser aproveitar. É uma ideia que ando aqui a burilar, há uma série de tempo.

A ideia é esta.

 

Colocamos os membros todos deste executivo, dentro do Palácio de S. Bento durante 3 meses. Os seus passos, são vigiados pelos eleitores 24 horas por dia, através de câmaras de tv que são colocadas estrategicamente em todas as salas (menos nas casas de banho claro) e depois todas as semanas, a malta telefona para um número de valor acrescentado, para expulsarmos um deles.

O último a sair ganha um bilhete de ida para Estrasburgo!

O programa chama-se “A Casa dos Degredos” e é claramente uma aposta vencedora, pois se tivermos em conta o dinheiro que se recebe com as chamadas telefónicas, pagamos rapidamente a dívida que temos à Troika!!!

Genial não acham?

 

Como se vê, qualquer um de nós pode ser um Eduardo Cintra Torres!

15
Set12

UMA NOVA ALAMEDA?

escadas

 

 

Passo Coelho, finalmente acertou!

Passos Coelho, conseguiu, finalmente, unir os portugueses.

Temo, que nos próximos dias, algum “iluminado” do PSD, venha dizer que o Partido Comunista, organizou muito bem as manifestações de hoje dia 15, mas para a história, ficará marcada para sempre, a imagem, o som e as lágrimas dos muitos milhares de portugueses que saíram à rua numa grande manifestação cívica de protesto contra este governo.

 Antes de mais, devo dizer para que não me acusem no futuro, que não advogo, nem a queda do governo, nem eleições antecipadas.

Há um ano atrás, o povo votou e “estes senhores” ganharam, logo, têm toda a legitimidade para governar.

Mas apesar desta premissa ser verdadeira, também é verdade que eu tenho o direito e porventura o dever de me indignar, de protestar.

Ao longo da minha vida, estive presente em muitas manifestações. Duas delas, marcaram-me profundamente pelo seu significado e por aquilo que representaram, refiro-me a um Comício do PS no Pavilhão Desportivo de Paço d’Arcos (lembras-te Arons de Carvalho e Elisa Damião?) e claro está, da célebre manifestação da Alameda.

Ambas as manifestações marcaram uma mudança, uma viragem. Eu era muito jovem na altura, mas aquela gente toda à minha volta, a gritarem a uma só voz, mexeu comigo. Penso que foi a primeira vez que percebi o significado da palavra UNIDADE!

Foi esta unidade que as pessoas sentiram hoje. Pergunta-se então; ok, e agora?

Pois… e agora?

 

Seria desejável, que Passos Coelho ponderasse.

Seria desejável, que Passos Coelho mudasse.

Não creio.

 

Se recuar, perde força e legitimidade politica, correndo o risco de se tornar refém de Paulo Portas e do CDS, neste caso, os “históricos” do PSD que colocaram Passos Coelho no poder, não lhe perdoariam.

Se fizer alterações no Governo, fica comprometida a apresentação do OGE para este ano, logo, não será viável.

Resta por isso o impensável, que é Passos Coelho descer à terra e ver a porcaria que andou a fazer este tempo todo.

E é impensável, por que tudo isto que está a acontecer, foi devidamente pensado quando na altura devida, pediu calma aos seus dirigentes, alegando que ainda não tinha chegada a hora de irem ao pote!

Essa hora, acabaria por chegar semanas mais tarde, quando num acto “heróico” decidiu chumbar o PEC IV, invocando o interesse nacional, com a alegação de que o Povo (sempre o povo) não poderia suportar mais impostos.

Nessa altura Passos Coelho sabia, que esse PEC IV, tinha sido bem recebido pelas instituições europeias, nomeadamente o Banco Central Europeu.

Passos Coelho sabia, que a “ida ao pote” poderia estar condenada, já que tudo indicava que os Mercados financeiros poderiam reagir positivamente às medidas que o governo se preparava para tomar.

O líder do PSD, preferiu precipitar a ruptura e o assalto ao pote!

Prometeu tudo a todos!

Estendeu um tapete vermelho (ou cor de laranja) até ao paraíso terrestre, e convidou todos os portugueses a atravessarem com ele o curto caminho, até à felicidade eterna!

 

Um ano depois, já todos perceberam que foram enganados.

Á luz do direito internacional (!!!) chama-se a isto, um logro!

Estes senhores mentiram e mentiram muito!

Assim sendo, penso que Passos Coelho, dificilmente descerá à terra. O paraíso onde se encontra foi criado por si (e já agora por Ângelo Correia) e dificilmente acordará para a realidade.

Não desejo eleições, não acredito em soluções mágicas, mas esta crise foi provocada pelo próprio Passos Coelho e pelo PSD.

Foram estes senhores que estando em maioria no governo, resolveram virar as costas aos portugueses, os mesmos portugueses que lhe deram o benefício da dúvida, o elegeram, ajudaram a estender a passadeira até ao paraíso e optaram com ele viver !

 

Os restantes mortais, sentem-se perdidos.

A nossa dignidade foi roubada.

O nosso futuro foi hipotecado

 

Os portugueses olham à sua volta e não reconhecem um líder.

Falta alguém, que devolva a esperança e a vontade de vencer.

Seja ele quem for.

Que seja verdadeiro

Que seja verdadeiro

Que seja português!

 

 

04
Set12

Terra Queimada

escadas

"A Terra rebentará, podemos tê-lo por seguro, mas não será para amanhã. Do que estamos a necessitar é de um bom susto.Talvez despertássemos para a acção salvadora."

José Saramago

 

 

Ouvir falar Sampaio da Nóvoa, é sempre um bálsamo para a mente e um tónico para os nossos ouvidos.

A clarividência, com que aborda, despudoradamente diga-se, os problemas que afectam a sociedade portuguesa, faz-me acreditar que ainda existe seres inteligentes neste país.

Depois do discurso, tipo chapelada, com que nos brindou no Dia de Portugal (cuja audição deveria ser obrigatória a todos os aspirantes a cargos publico e políticos), a entrevista de ontem na RTP a Fátima Campos Ferreira, foi mais uma lufada de ar fresco, neste tão carregado e cinzento final de estação.

Ao seu lado, Fátima Campos Ferreira até parecia inteligente!  

 

São pessoas como o Professor Sampaio da Nóvoa, que ainda me dão alguma esperança e alento. A sua coragem e lucidez, fazem-me pensar e agir.

Aliás, tendo em conta os seus últimos “recados” nem sei como é que o Correio da manha ainda não lhe pôs a vidinha ao Sol, mas não deve demorar muito para que lhe ponham atrás um jornalista e um rapaz a tirar fotografias, sempre que for almoçar ou passear de carro!!

E porquê? Porque Portugal está reduzido a uma estação de sound bytes!

Esta é a escola de Paulo Portas, a escola que enquanto jovem jornalista, alimentou e disseminou enquanto director do Independente e mais tarde enquanto candidato a várias coisas, deputado, presidente da câmara (lembram-se do “Eu Fico”?) cabeça de lista ao parlamento europeu, ou mesmo candidato putativo ao cargo de presidente da república.

Portugal vive hoje em dia, como se não tivesse havido um ontem (e por vezes um amanhã). Os jornais noticiam apenas o momento presente, qual pastilha elástica que se mastiga e deita fora se demora! Aquela coisa antiga e pertinente de cruzar fontes e dados para enquadrar determinada noticia, foi chão que secou há muito e dali já não há esperança de qualquer tipo de fruto.

Por isso mesmo, não é de estranhar o momento que estamos a viver.

Tudo se passa, tudo acontece e no entanto… ninguém reage, ninguém diz nada…parece que estamos anestesiados.

 

Vejamos

Mário Nogueira, o líder carismático do proletariado professoral, afirmou recentemente e cito: “ Agora é que os corte vão doer”  Agora????? Agora Sr. Professor??? Mas onde é que o senhor tem andado estes meses todos? A contar cabeças tresmalhadas?

Onde é que param agora os tais 200 mil professores que desceram a Av. Da Liberdade a exigir mudanças e a protestarem contras as medidas do governo de José Sócrates?

As vozes estão caladas? Resignadas? Ou será que a vergonha fala mais alto?

 

E já agora, o que é feito dos “Homens da Luta”, também eles levados ao colo por uma falsa moral, que apregoava por todo o lado, o fim de um ciclo e a necessidade de renovação? Será que esta dupla de actores, cantores, era tão somente isso mesmo?

As vozes estão caladas? Resignadas? Ou será que a vergonha fala mais alto?

 

Quantas primeiras páginas fez o “Público” sobre a licenciatura de Sócrates? Penso que neste caso, a contra-informação e a manipulação de informação deveriam servir para fazer um qualquer tratado, uma qualquer tese de Mestrado (sim, já pensei nisso). Durante semanas, meses, anos, o anedotário dos portugueses, foi alimentado por uma história, que em si nada tem de extraordinário e que se explica facilmente, no entanto, e como comparação, se é que se pode compara uma coisa com a outra, o currículo universitário de Miguel Relvas já caiu no esquecimento, é como se se tivesse aceite o facto de que de facto as coisas são assim; palmadinha nas costas e já está!

Não há investigação, contraditório, inquirição…NADA!

As vozes estão caladas? Resignadas? Ou será que a vergonha fala mais alto?

 

E os submarinos de Portas?

E a derrapagem escandalosa das contas públicas?

E o BPN de Cavaco e Dias Loureiro

E a RTP…

Por razões que são facilmente compreensíveis, custa-me falar da RTP. Dói-me a alma só de pensar! Por isso aconselho a leitura do excelente texto do meu companheiro José Manuel Rosendo, que de uma forma quiçá menos violenta do que a minha, mas mais objectiva, traça de uma forma muito inteligente o que está verdadeiramente em causa.

Direi apenas que para casos como este, defendo tudo o que privilegie a acção violenta, radical e armada, a começar por um pano encharcado em “merda” na tromba dos atrasados mentais que diariamente dizem alarvidades sobre o universo da RTP e o serviço público de radiodifusão.

 

Ao pé disto, Margarida Rebelo Pinto é uma gordinha fofinha que tem conversas de pé de orelha com Maria Filomena Mónica sobre a sua recente conversão ao ideário de esquerda.

 

Posto isto, pode perguntar-se, mas afinal porque é que ninguém protesta?

Tenho para mim, que os portugueses, na sua imensa sabedoria, não encontram ninguém no horizonte capaz de ser uma alternativa credível ao actual poder instituído.

Terá que emergir uma nova figura, alguém capaz de dinamizar a sociedade cível, alguém que seja capaz de devolver aos portugueses a dignidade perdida!

Esse líder, se existir, tem que se apressar.

A política da terra queimada está a produzir efeitos e se se atrasar, quando chegar, não há campo nenhum que valha a pena ser cultivado.

JÁ ARDEU TUDO!

Mais sobre mim

foto do autor

google+

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D