Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escadas Rolantes

Na minha terra costuma dizer-se: Quando a merda chega à ventoinha, ficam todos cagádos!

Escadas Rolantes

Na minha terra costuma dizer-se: Quando a merda chega à ventoinha, ficam todos cagádos!

22
Jul12

ACORDAI

escadas

Há uma linha que separa o norte do sul do país. É a linha do rissol!

No norte é de carne, no sul é de peixe.

Esta triste realidade, a que Luís Felipe Menezes aludiu num célebre discurso no Coliseu dos Recreios em 1995, exemplifica muito bem esta dicotomia que tem caracterizado o nosso país nos últimos anos.

E não é só a nossa falta de nacionalismo e esta vontade latente de derrubar tudo o que é bom e é português. O Tuga quando vai às compras, mais facilmente compra um produto que tem uma etiqueta a dizer “Made in Portugal” do que um que diga “Fabricado em Portugal”.

Se é português e se se destacou nesta ou naquela “matéria”, haverá sempre alguém que se encarregará de espalhar um boato, uma história, uma fotografia, que o coloque nas ruas da amargura.

Antigamente podíamos esperar que esse “alguém” fosse Pacheco Pereira, mas a verdade seja dita que o ex- militante (já não é pois não?) do PSD, se deixou dessas coisas!

Este é um país “piquinino” de coisas “piquenas” e ainda por cima, para mal dos nossos pecados, é governado actualmente por gente “piquena”.

Este é um país que tem jornalistas no activo, do tipo de Mário Crespo e programas de televisão do género da “Casa dos Segredos” que é líder de audiência.

Não que eu ache que estes programas não devam existir, o que eu não percebo é porque é que tanta gente perde tempo a ver os genitais rapados de uma rapariga que é o protótipo do “Porquinho chamado Babe” e o dia-a-dia de uma jovenzinha que é mais burra que as pedras da Calçada dos Barbadinhos. Neste particular, Salazar esteve bem! A sua politica educacional deu os seus frutos!!

Em Portugal, ser-se bom em qualquer coisa, é sinal de que mais dia menos dia, teremos o nosso nome no jornal. Luís Figo, já percebeu isso! António Costa não tarda, terá de se confrontar com esta triste realidade.

Só as mentes medíocres, se dão ao trabalho de aniquilar aqueles que lutam por uma vida melhor, não só para os próprios como para toda a sociedade.

E já que falo em mentes medíocre e “piquenas”, deixo aqui bem claro que prefiro mil vezes ser governado por alguém que pensa em grande, que tem uma estratégia de crescimento clara para Portugal, do que um monte de “meninos de coro” que a única coisa que sabem fazer é… O QUE É QUE É MESMO????

Por esta altura haverá muita gente que está a dizer, pois lá está a ela a defender o Sócrates, o gajo que deixou este País na miséria e que depois fugiu para Paris!

Meus amigos, sejamos claros numa coisa.

Sócrates que não precisa que eu o defenda para nada (chegará a altura para ele o fazer) é o mesmo Sócrates que optou por ir estudar para Paris (coisa rara hoje em dia) em vez de ficar aqui a alimentar discussões pueris e fraudulentas, pois é disso mesmo que trata, de uma fraude!

Esta lavagem permanente da nossa história recente, terá o seu fim, e mais dia, menos dia, começaremos a perceber o que esteve por detrás do assalto ao poder perpetrado por estes “meninos”.

Não defendo que Sócrates deva voltar ao poder. Sócrates teve o seu tempo! O que não posso admitir é que a história do meu País seja adulterada desta forma tão vil, tão cobarde. Sim, a mentira é a principal arma dos cobardes e a estupidez e o analfabetismo os seus principais alimentos.

 

E como dizia José Gomes Ferreira

Acordai
acordai
homens que dormis
a embalar a dor
dos silêncios vis
vinde no clamor
das almas viris
arrancar a flor
que dorme na raíz

Acordai
acordai
raios e tufões
que dormis no ar
e nas multidões
vinde incendiar
de astros e canções
as pedras do mar
o mundo e os corações

Acordai
acendei
de almas e de sóis
este mar sem cais
nem luz de faróis
e acordai depois
das lutas finais
os nossos heróis
que dormem nos covais
Acordai!

 

16
Jul12

O Amigo de Peniche

escadas

 

 

 

 

(...in Expreeso) Marcelo indica Marques Mendes para substituir Relvas

O comentador político considera que Miguel Relvas deve demitir-se, porque está a afetar a credibilidade do Governo. Não está nada! Miguel Relvas está apenas a caucionar toda a gestão do PPD/PSD de Passos Coelho.

O que é esta história da licenciatura de Relvas ao lado das promessas do primeiro ministro?

Que comparação se pode fazer entre tudo o que foi dito pelo PSD, antes e durante a campanha eleitoral e as rocambolescas aventuras de Relvas pelos corredores da faculdade?

Basta ouvir as declarações de Duarte Marques, líder da JSD, para se perceber a credibilidade desse grande partido que governa Portugal.

Aliás, um partido que tem Carlos Abreu Amorim, não só no seu grupo parlamentar (ou para lamentar), como ainda o nomeia vice-presidente, só se pode lamentar de si próprio!

Marcelo Rebelo de Sousa acha que Miguel Relvas se deve demitir porque está a afetar a credibilidade do Governo???

Nesse caso, Passos Coelho deve resignar, porque ele próprio está a afetar a credibilidade do País!

13
Jul12

Os Super Poderes

escadas

 

 

Por vezes, dou por mim a pensar na história daquele individuo, que ia a passear na rua, quando, ao constatar a existência de uma pequena embalagem de cigarros esquecida no meio da calçada, resolveu afinar a pontaria futebolística.

Toma balanço, alça da perna e…antes que se fizesse ouvir o grito de golo, eis que um sonoro “PORRA, QUE MERDA É ESTA?”, se fez ecoar por toda a rua.

De facto, o pacote de cigarros não estava vazio e no seu interior tinha sido guardada uma valente e negra pedra, mais parecia um pedregulho, daqueles que até apetece levar para casa e guardar no parapeito da janela!

 

Mas a história não acaba aqui.

O mesmo individuo, aventurou-se na mesma rua dias depois. Ao descer a calçada e comentando com as pedras da dita, a má sorte de que tinha sido acometido anteriormente, reparou que um pouco mais à frente se encontrava “esquecida” no chão, uma pequena caixa de cartão.

A tentação falou mais alto e pensando nas palavras de Heraclito Éfeso, o qual afirmava que “a mesma água nunca passa duas vezes por baixo da mesma ponte” aventurou-se numa tentativa de revanche “política” e sem pedir licença, alçou da perna canalizou toda a sua ira para o ténis Adidas branco do pé direito e pisou com quanta força tinha a pobre da caixinha de cartão!

Azar dos azares! A caixa não tinha nenhuma pedra, mas guardava no seu interior a bela de uma poia tipo bosta, ainda fresca e acabada de ser produzida por espécimen canino, talvez de raça Old English Sheepdog (coisa fina). 3 semanas depois deste episódio, o atacador do sapatinho branco, ainda emanava a “perfume ão-ão” e nem o programa rápido da máquina de lavar a roupa conseguiu alguma vez fazer desaparecer a imagem degradante do nosso individuo a ir para casa ao pé coxinho com um sapato no pé e o outro na mão, mas bem afastado da cara, claro!!

 

Perguntar-me-ão, mas essa história aconteceu? Claro que não, inventei-a agora mesmo, mas é um excelente desbloqueador de conversa e serve na perfeição, para ilustrar um dos maiores problemas com que a nossa sociedade se depara; OS PEQUENOS PODERES.

 

Esqueçam os tipos os SIED, da Judiciária, ou do Governo! Estas pessoas não são nada sem a funcionária (sim, normalmente é uma senhora) que faz o café todos os dias!!

A D. Inácia, tem o poder de fazer o único café que é capaz de acordar um morto e transformar em ouro um energúmeno que começou o dia por ser um calhau! A D. Inácia é detentora de um poder bom, isto se um dia não lhe passar pela cabeça de diluir na chicória, meia caixa de Xenical, mas há outros poderes esses sim preocupantes.

 

Que dizer daquele funcionário de uma empresa de segurança, que por ter uma farda nova (e o cabelo rapado claro) se acha o novo “He-man Defensor do Universo”. Neste caso a sua “Excalibur” é substituída por um auricular tipo Casa Sonotone, com o qual está sempre a interagir, independentemente de ter uma fila de 5 ou 6 pessoas à sua frente aguardando por uma qualquer informação.

O pináculo da coisa, dá-se quando o nosso “justiceiro” levanta a mão em sinal de respeito, para a fila de incautos mortais que anseia por uma resposta ou autorização, e em simultâneo vocifera para o aparelho que lhe ocupa a face direita desde a orelha até á ponta do lábio: REPITA; POR FAVOR, NÂO ESTOU A COPIAR, REPITA POR FAVOR!

E não adianta pedir ao “biónico segurança”, alguma celeridade no desempenho das suas funções. Do outro lado da linha deve de estar alguém do MI6, ou mesmo do NCIS, talvez seja mesmo Daniela Ruah, de quem tem alguns posters colados atrás de si!

Por esta altura a fila já aumentou para 9 pessoas, a impaciência aumenta, na mesma proporção do “espectáculo” que o segurança teima em continuar a representar e ao pedido lancinante de um comum e “estúpido mortal” para que a coisa se resolva porque há gente à espera, eis que se faz ouvir por detrás do pequeno vidro que o separa da realidade; Calma! Não vê que estou a trabalhar????

 

Os pequenos poderes estão instalados na nossa sociedade, minam a nossa paciência, e têm como único objectivo, evitar que alguém, qualquer pessoa, consiga atingir os seus objectivos.

Desde o funcionário das Finanças que olha para nós com aquela cara inquisitória como que a dizer; “Eu sei o que fizeste no Verão passado” e que como tal, acha que só resolve o nosso problema, se e quando lhe apetecer… passando por aquele jornalista, que apesar de não perceber nada daquilo que diz e escreve, acha que deve continuar a “chafurdar” (como os porcos) na vida dos outros. Como tem acesso a um pasquim que lhe dá tempo de antena porque precisa de vender papel, acha que é um novo “Wolverine” e com os seus colegas, fazem parte da irmandade dos X-Men!

O poder destes indivíduos é enorme e quase ilimitado. Por muitos disparates que escrevam é extraordinariamente difícil conseguir que se retratem, preferindo sempre optar pela via da difamação em vez da informação. Neste caso, a incompetência assume níveis alarmantes e é muitas vezes camuflada pelos gritos lancinantes que são publicados na primeira página.

Eu explico melhor. Tome-se este exemplo; “Bebé de 3 meses mata mãe à dentada” O autor deste título, teve uma infância solitária e infeliz. A mãe nunca o amentou, no infantário, chorava pelas chuchas dos outros meninos e quando entrou para a escola, o facto da professora o ter colocado na ultima fila, em nada contribuiu para diminuir a falta de visão que entretanto foi criando. Aliás, foi o facto de lhe chamarem caixa de óculos que o fez enveredar por uma profissão onde pudesse fazer “cachas”. Só faltou uma coisa; ser inteligente!

 

Mas nada disto se compara com o poder dos poderes, aquele que emana energia para além do admissível, falo-vos do poder do nosso chefe!

Ao pé dele, o empregado do restaurante que teima em deixar para trás o nosso pedido, fazendo-nos esperar e desesperar por um bitoque, é um menino do coro!

O nosso chefe, não é o senhor director, nem o senhor presidente, o nosso chefe é aquele senhor que veste dos pés à cabeça no Giovanni Gallli, só ouve música clássica, apesar de não fazer ideia do que está a ouvir, comprou um Toyota Prius, porque faz bem ao ambiente, mas quando reparou no parque automóvel lá da empresa, trocou-o rapidamente por um Mercedes.

O nosso chefe não lê (também não sabe escrever) mas tem uma resma de livros na mesinha de cabeceira e faz questão de ter em exposição no seu gabinete um exemplar de “O Arquipélago da Insónia” de António Lobo Antunes!

O nosso chefe é o pináculo da chatice, o arquétipo da imbecilidade, o paradigma da incompetência! Nada faz, nada diz, mas tem o supremo prazer de dizer não, a toda e qualquer tentativa de produzir algo novo, algo inovador, algo produtivo.

A geometria para este cidadão resume-se ao… quadrado! 4 ladecos rigorosamente iguais, para não destoar, 4 cantos idênticos entre si, para não termos surpresas!

O nosso chefe acha-se o novo “Cosmic Boy”, o líder incontestado (acha que nasceu para isso), o defensor dos usos e dos bons costumes. Para o nosso chefe, João César das Neves é a personificação de Cristo na Terra e o seu imperial sonho é estagiar com Vasco Pulido Valente!

O nosso chefe não existe, apenas ocupa um lugar. Não produz, não cria, apenas respira e por isso mesmo está a usar indevidamente o ar, que é de outro!

E é com “isto” que nós temos que lidar todos os dias. É com “isto” que a maioria das nossas empresas são feitas.

Quantos de vós já viram um chefe assim?

 

Agora imaginem se este chefe um dia chega ao Governo…

 

06
Jul12

o XICO ESPERTO

escadas
O verdadeiro Xico Esperto

 

Camilo Lourenço, é daqueles especialistas que sabe de tudo no que toca a economia.

Mais, não só sabe, como acha que é dono e senhor da razão.

Camilo Lourenço, quando acorda de manhã, deve olhar para o espelho e dizer; Porra… Sou tão inteligente…até tenho ouvintes que me mandam todos os dias emails a fazer perguntas e a pedir conselhos, sim, a pedir conselhos!!

Este “especialista” em economia, está mesmo convencido que é o supra sumo da barbatana, diria mesmo que Camilo Lourenço, é o Rui Santos dos tostões, o Gabriel Alves do carcanhol!

 

Bem…passemos à frente. Hoje de manhã, ouvi este “especialista” dissertar sobre a recente decisão do Tribunal Constitucional.

Diz este senhor, que existem dois tipos de funcionários, os de “longa duração”, entenda-se os trabalhadores do estado e os outros, os do sector privado, os que têm contratos e podem ser despedidos a qualquer momento! Mais. No final da sua crónica, Camilo conclui que o estado não tem dinheiro e que é preciso cortar na despesa corrente e despesa corrente é… ORDENADOS, como tal a única solução, é nunca mais pagar os subsídios de férias e de Natal, aos desgraçados dos funcionários públicos, a essa corja de calões, essa cambada de malfeitores, que mais não fazem do que viver à custa dos outros portugueses, esses sim pobres trabalhadores honrados.

 

Esta identificação entre portugueses de primeira e de segunda, independentemente de ser intelectualmente fascizante, logo estúpida, deixa-me perplexo, pela forma displicente com que é proferida. Aliás, eu até acho que se podia ir mais além. O problema é o número excessivo de funcionários públicos? Despeçam-se então os funcionários públicos, TODOS!

Assim poupa-se uma pipa de massa e o estado pode finalmente gastar à vontade nas remunerações dos seus gabinetes, sim porque a prioridade é cortar na despesa corrente!

O quê? Camilo não falou nos motoristas, adjuntos e assessores???? Óhhhh que pena, mas eu falo!

 

Saberá por acaso quantos assessores tem a ARS de Lisboa? Quer ir lá contar? Olhe que deve levar uma máquina de calcular.

Já agora convém confirmar quantos é que recebem por lá ordenado e quantos é que efectivamente lá trabalham.

E no Instituto da Juventude e Desporto? Sabe quantos entraram depois da fusão??

E já agora, será que pode explicar aos estúpidos dos portugueses, aqueles que nada sabem, aqueles que não nasceram iluminados como o senhor, tanto os portugueses de primeira como os de segunda, como é que o estado, ou melhor, como é que este Governo, depois de todos os cortes, depois de todos os aumentos em impostos directos e indirectos, ainda tem a ousadia de vir dizer que a execução orçamental resvalou e que o défice se situa agora nos 7,9% ?!?!??!?!?!?

 

Pois é senhor Camilo, não basta cuspir postas de pescada, porque ás vezes o vento não sopra de feição e arrisca-se a que lhe caia algum filete mal temperado na cara!

Mais sobre mim

foto do autor

google+

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D